Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conteúdo Mix

Conteúdo Mix

22
Dez17

Albumina ajuda no ganho de massa muscular

eneasgc
A albumina ajuda no ganho de massa muscular - Foto: Getty Images

Albumina ajuda no ganho de massa muscular


albumina é uma proteína da família da globulinas e apresenta funções biológicas importantes. É a principal proteína do sangue do ser humano. Ela é encontrada em diversos alimentos de origem animal (inclusive o whey protein é uma albumina), além de estar presente também em raízes de algumas plantas. A albumina comercial mais conhecida é a derivada da clara do ovo e é considerada uma proteína de alto valor biológico por conta do seu perfil de aminoácidos.

As várias funções da albumina são:
  • Manutenção e construção de músculos e tecidos
  • Função osmótica (que permite passagem dos minerais pelas células)
  • Presença aminoácidos essenciais na formação hormônios
  • Transporte de diversas substancias em nosso sangue.

Nutrientes da albumina em pó

Albumina (14 g)
Calorias54 kcal
Carboidratos< 1 g
Proteínas11 g
Gorduras totais0 g
Gorduras saturadas0 g
Gorduras trans0 g
Fibras alimentares0 g
Sódio179 mg
Tabela fornecida pelo nutricionista Israel Adolfo, especialista em nutrição esportiva
Albumina (100 g)
Cálcio62 mg
Ferro0,15 mg
Magnésio55 mg
Fósforo111 mg
Sódio1280 mg
Zinco0,1 mg
Cobre0,11 mg
Manganês0,01 mg
Potássio1125 mg
Vitamina B120,15 mcg
Vitamina A0 UI
Tiamina (Vitamina B1)0,01 mg
Vitamina B60,01 mg
Ácido fólico (Vitamina B9)15 mcg
Niacina (Vitamina B3)0,87 mg
Riboflavina (Vitamina B2)2,53 mg
Ácido Pantotênico (Vitamina B5)0,78 mg
Tabela fornecida pelo nutricionista Israel Adolfo, especialista em nutrição esportiva
Segundo as normas da ANVISA, a albumina é:
  • Fonte de potássio e ácido pantatênico em homens, e magnésio, potássio e ácido pantatênico
  • Rica em sódio e riboflavinas (vitamina B2).
Além disso, ela possui quantidades interessantes dos seguintes nutrientes:
  • Potássio: um dos responsáveis pela manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico, contração muscular, funcionamento cardíaco e participa da transmissão dos impulsos nervosos
  • Ácido Pantotênico: percursor da coenzima A, fundamental para o metabolismo energético (carboidratos, proteínas e gorduras)
  • Magnésio: mineral de estrema importância, necessário para o funcionamento de 300 reações em nosso organismo, entre eles: síntese de ATP, contração muscular, saúde óssea, etc.
A albumina ainda é fonte de aminoácidos essenciais, ou seja, que não são produzidos pelo nosso corpo.

Para que serve a albumina

O suplemento de albumina é um aliado no ganho de massa muscular. Além disso, ele também pode contribui para a perda de peso. Alguns outros estudos também apontam que o suplemento pode ser interessante para pacientes que sofreram queimaduras e na recuperação após uma cirurgia.

Benefícios comprovados da albumina

Ajuda no ganho de massa muscular: Diversos estudos apontam que a albumina é aliada no ganho de massa muscular. Entre eles, uma pesquisa publicada no Journal of the American Geriatrics Society feita com mais de 600 homens e mulher concluiu que a baixa albumina no organismo está associada com o declínio da força muscular em mulheres e homens mais velhos.
Os benefícios da albumina para os músculos ocorrem porque ela possui proteínas de alto valor biológico que ajudam a reparar os músculos que sofreram microlesões devido à prática de exercícios. Esses músculos são reparados e ficam maiores e mais fortes.
Proporciona saciedade: O suplemento de albumina proporciona saciedade porque é rico em proteínas que tem uma digestão mais lenta.

Quando a albumina é indicada para saúde?

Além do uso da albumina como suplemento alimentar no esporte e atividade física, ela pode ser usada como suplemento nos seguintes casos:
  • Doenças hepáticas graves, como cirrose, ascite e em casos de transplante do fígado
  • Cirurgias no coração
  • Choque hipovolêmico (em que há perda de grandes quantidades de sangue ou líquidos do corpo)
  • Síndrome nefrótica
  • Casos de grandes queimaduras, em que a pele perde líquidos, eletrólitos e albumina.
Existem outras situações em que a suplementação de albumina ainda não é consenso:
  • Desnutrição proteica grave
  • Doenças do sistema digestivo, como doença celíaca e doença de Crohn
  • Choque séptico
  • Intoxicação por medicações ou produtos químicos.

Como consumir

A albumina pode ser encontrada na forma de pó, e deve ser ingerida após o treino, com o objetivo de reconstrução da musculatura treinada. Ao consumi-la é importante que seja dissolvida em um líquido de preferência frio, para evitar a quebra da mesma e consequente alteração do sabor. A água é uma opção, porém, outras boas opções são a água de coco, sucos e vitaminas, pois além de incorporar os carboidratos importantíssimos no pós-treino, também melhora o sabor.

Quantidade recomendada

Não existe recomendação de consumo diário para a albumina. Está recomendação só existem quando se existe um objetivo por trás de seu uso, como por exemplo, o desenvolvimento de massa muscular. Nestes casos a recomendação é individual e feita a partir de uma análise global da alimentação diária.

Precauções ao consumir

Observe se a empresa que produziu o suplemento de albumina é regulamentada pela ANVISA. Além disso, ao adquirir observe seu aspecto. Caso o odor esteja muito forte ou o pó tenha alguns pontos escuros não compre. Ao ingerir a albumina, procure beber muita água para evitar problemas nos rins. A albumina só pode ser orientada por nutricionistas ou nutrólogos.

Efeito colateral

O principal problema do suplemento albumina é que por ser derivado do ovo, seu consumo favorece o aumento de flatulências. Por esse motivo, muitas pessoas tem preferido o consumo do Whey Protein, que também é uma boa fonte de proteínas e ão possui este efeito colateral.

Riscos ao ingerir em excesso

Quando consumida em excesso, o suplemento albumina pode levar à retenção de líquidos e até favorecer uma hipertensão. Isto porque ele possui grandes quantidades de sódio. Os valores recomendados de albumina possuem 255 miligramas de sódio, cerca de 12% da recomendação diária. Além disso, a questão das flatulências fica ainda mais grave quando a albumina é ingerida em excesso. Outro risco pode ser uma futura complicação renal, por conta do excesso de consumo de proteínas.

Albumina engorda?

Quando a albumina é ingerida em quantidades corretas, o peso não é afetado. Já o excesso de albumina favorece o ganho de peso.

Quem pode consumir

O suplemento de albumina só pode ser ingerido após a orientação de um médico especialista ou de um nutricionista. Geralmente ele é orientado para pessoas que praticam atividades físicas.
Gestantes, lactantes e pessoas com alergia ao ovo devem evitar o consumo do suplemento. Pessoas com problemas no intestino também devem tomar cuidado com o consumo, devido ao fato do suplemento favorecer flatulências. Por fim, quem tem problemas renais também deve tomar cuidado, pois o excesso de proteína pode sobrecarregar os rins.

Combinações

Procure combinar o consumo de albumina com um carboidrato, pois este macronutriente ajuda na entrada de proteínas no músculo. Se nçao houver restrição, vale ingerir com a maltodextrina ou dextrose, ambas boas fontes de carboidratos.

Fontes consultadas:

Nutricionista Marcela Sansone, especialista em nutrição Ortomolecular e Esportiva.
Nutricionista Rita de Cássia Leite Novais da Consultoria Alimentar
22
Dez17

Açúcar de coco é um bom substituto para o açúcar?

eneasgc
Colher com açúcar de coco - Foto: Getty Images

Açúcar de coco é um bom substituto para o açúcar?


açúcar de coco é obtido através da seiva encontrada dentro do coqueiro. Para obtê-lo, é preciso fazer um corte na flor do coqueiro. A seiva líquida recolhida passa por um aquecimento e é desidratada através do calor, o que resulta em cristais usados para adoçar alimentos.

Ele é considerado um alimento minimamente processado, já que não leva conservantes nem passa por processos de refinamento.
Hoje, ele tem sido usado cada vez mais como um substituto do açúcar refinado. Ambos têm a mesma capacidade de adoçar alimentos e calorias semelhantes, no entanto, o açúcar de coco tem menor índice glicêmico, o que significa que ele causa menores picos de glicose e de insulina no organismo.

Principais nutrientes

O açúcar de coco é retirado do coqueiro e não do coco em si, o que muda um pouco sua composição nutricional com relação ao fruto. O coco é rico em gorduras saturadas, mas em sua maioria ácidos graxos de cadeia média, gorduras benéficas para a saúde e que se convertem em energia diretamente. Infelizmente, o açúcar de coco não contém quantidades significativas deste nutriente.
No entanto, o açúcar de coco tem quantidades interessantes de vitaminas do complexo B, principalmente a vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B3(niacina) e vitamina B6 (pirodoxina). Também contém minerais como potássiomagnésioferro e zinco.
É importante ressaltar que como a recomendação de consumo diário do açúcar de coco é baixa, ele não pode ser considerado uma fonte destes alimentos e outros alimentos fontes destes nutrientes devem ser priorizados na alimentação.
A grande estrela do açúcar de coco, no entanto, é a fibra inulina. É ela quem reduz o índice glicêmico deste alimento, já que faz com que os carboidratos sejam absorvidos de forma mais lenta pelo organismo. Além disso, ela é considerada uma fibra prebiótica, que ajuda na manutenção e crescimento da flora intestinal.

Vantagens do açúcar de coco

A grande vantagem do açúcar de coco é ter um índice glicêmico mais baixo. O conceito de índice glicêmico mede o tempo que o carboidrato de um alimento demora para ser absorvido pelo intestino. Quanto mais rápida essa absorção, maior a capacidade desse alimento de gerar picos de insulina no organismo.
Por isso, o açúcar de coco é interessante para alguns grupos de pessoas:
Pré-diabéticos: o pré-diabetes é uma condição em que o corpo se torna resistente à insulina, o hormônio que coloca o açúcar para dentro das células. Ou seja, é preciso quantidades maiores de insulina para absorver a mesma quantidade de açúcar. Se não tratada, ela pode evoluir para um diabetes tipo 2. Por isso, priorizar alimentos em que a glicose é absorvida mais lentamente pode reverter o quadro, já que cargas menores de açúcar fazem com o pâncreas não se sobrecarregue produzindo insulina o suficiente para absorvê-las.
Pessoas que querem emagrecer: quando absorvemos a glicose de forma muito rápida, sua energia não é utilizada completamente e ela aumenta as reservas de gordura do organismo, principalmente na região do abdômen. É a própria insulina que regula este mecanismo quando está em alta no sangue. Por isso, consumir alimentos com baixo índice glicêmico ajuda a reduzir esse tipo de acúmulo de gordura.
Além disso, alimentos com índice glicêmico mais alto costumam favorecer a saciedade, impedindo que a pessoa coma mais naquela refeição ou na refeição seguinte.
No entanto, é preciso lembrar que o açúcar, mesmo sendo de coco, sempre é uma fonte extra de glicose nas refeições, portanto ele sempre deve ser consumido com moderação ou mesmo evitado, principalmente se a intenção é a perda de peso.

Compare o açúcar de coco com outros açúcares

Açúcar de coco x Açúcar refinado
Ao comparar o açúcar de coco com o açúcar refinado, destaca-se a quantidade de vitaminas e minerais que o primeiro contém, já que o processo de refino retira a maior parte dos nutrientes do açúcar.
Além disso, o índice glicêmico do açúcar de coco é menor, o que lhe confere mais propriedades benéficas.
Por fim, o açúcar de coco é um alimento minimamente processado, ao contrário do açúcar refinado que passa por uma série de processos químicos.
Açúcar de coco x Açúcar mascavo
O açúcar mascavo, assim como o açúcar de coco, é minimamente processado e contém mais nutrientes do que o açúcar refinado. No entanto, o açúcar de coco tem um poder de adoçar maior que o mascavo (e equivalente ao açúcar refinado), o que demanda um uso menor quantidade.
Além disso, o açúcar mascavo tem um índice glicêmico bem próximo ao do açúcar comum, que é mais alto.

Quantidade recomendada

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o consumo de açúcares de adição seja limitado a 5% das calorias consumidas no dia. Portanto, se pegarmos uma pessoa que consome 2 mil calorias por dia, ela deve consumir 25 gramas de açúcar de coco, ou seja, 6 colheres de chá ou uma colher e meia de sopa.

Como consumir o açúcar de coco

O açúcar de coco tem um sabor peculiar de açúcar queimado considerado bastante saboroso. Ele pode ser adicionado a bebidas escuras (lembrando que nas claras ele pode alterar a coloração), a shakes e também em receitas.
Como ele tem uma temperatura de fusão baixa e uma temperatura de queima alta, ele pode ser usado tranquilamente em preparações de forno e fogão.
Lembre-se sempre de usar a mesma quantidade que você usaria do açúcar comum.

Contraindicações

Por mais que o açúcar de coco tenha índice glicêmico mais baixo, nenhum tipo de açúcar de adição é recomendado para quem tem diabetes. Além disso, pessoas com triglicérides elevados devem tomar cuidado com as quantidades usadas deste açúcar, pois o consumo alto de carboidratos influencia nesse tipo de gordura.

Onde encontrar

O açúcar de coco pode ser encontrado em lojas de produtos naturais e alguns supermercados.

Riscos do consumo em excesso

O açúcar de coco, apesar de ser mais saudável, deve ser consumido com moderação. Sua quantidade de calorias é semelhante ao açúcar refinado, portanto em excesso ele pode levar ao ganho de peso, já que a glicose absorvida pelo corpo e não utilizada é estocada em forma de gordura.

Fontes consultadas

Nutróloga Tamara Mazaracki (CRM-RJ 301.716), pós-graduada em medicina ortomolecular
22
Dez17

Ácido fólico: veja para que serve e como tomar

eneasgc
Conheça os benefícios do ácido fólico - Foto: Getty Images

Ácido fólico: veja para que serve e como tomar


Ácido fólico, também conhecido como folato, metilfolato ou vitamina B9, é uma vitamina do complexo B, solúvel em água e presente em diversos itens da dieta diária. O folato ocorre naturalmente nos alimentos e o ácido fólico é a forma sintética do folato, usada em medicamentos.

Benefícios comprovados do ácido fólico

O folato é necessário para numerosas funções do corpo. Entre elas: a síntese e reparação do DNA, divisão e crescimento celular, produção de novas proteínas, formação de hemácias. O folato é importante para a saúde cardiovascular e do sistema nervoso.
Bom para as grávidas: Para gestantes, o folato é especialmente importante para um bom desenvolvimento fetal e formação do tubo neural. A suplementação deve começar pelo menos um mês antes da gravidez e é essencial nas primeiras oito semanas após a concepção. Isto porque é neste período que ocorre o desenvolvimento do sistema nervoso e tubo neural do feto.
Aliado do cérebro: Além de ser essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso do feto, o folato é fundamental para a função cerebral adequada e desempenha um papel importante na capacidade cognitiva e na saúde mental e emocional. Segundo estudos realizados pelo Institute for Functional Medicine, na Flórida, mais de 40% dos casos de depressão são causados pela falta de folato no organismo. Ele age como cofator na produção de serotonina, um neurotransmissor que garante o bom humor.
22
Dez17

Açafrão-da-terra é aliado do cérebro e ajuda na perda de peso

eneasgc
Saiba tudo sobre o açafrão-da-terra - Foto: Getty Images

Açafrão-da-terra é aliado do cérebro e ajuda na perda de peso

açafrão-da-terra, também conhecido como cúrcuma, açafrão da índia e gengibre amarelo, é uma raiz da família do gengibre. No mundo todo há mais de 100 espécies da família Cúrcuma, mas o açafrão que consumimos vem da Curcuma longa. A raiz sido utilizado há mais de 4000 anos no Oriente Médio e na Ásia, tanto na Medicina Ayurvedica como na Medicina Tradicional Chinesa, como um potente fitoterápico.

Este tempero se destaca pela ação antienvelhecimento e antioxidante e segundo uma pesquisa da Universidade da Califórnia é capaz de reduzir o risco da doença de Alzheimer. A cúrcuma também protege contra diversos tipos de câncer e tem ação anti-inflamatória.

Tome cuidado para não confundir o açafrão-da-terra com o açafrão vermelho. Este último é oriundo dos pistilos de uma flor e é considerado a especiaria mais cara do mundo, o açafrão-da-terra é muito mais acessível.

Nutrientes do açafrão-da-terra

O açafrão contém diversos minerais e vitaminas, com destaque para o potássio, que ajuda a controlar a pressão arterial e previne derrames. Também é fonte de vitaminas C, aliada da imunidade, e vitamina B6, que é benéfica para o cérebro.
O tempero ainda conta com ferro, que previne anemias, manganês, essencial para o metabolismo do colesterol e para o crescimento, cálcio, que é aliado dos ossos e dentes, e magnésio, importante para o metabolismo de glicose. Proteína, boa para os músculos, gordura e um elevado teor de fibra solúvel, que melhora o trânsito intestinal, também estão presentes no açafrão-da-terra. No entanto, o seu grande valor reside na curcumina, um polifenol com ação antioxidante e anti-inflamatória, responsável pela cor amarela intensa do açafrão.
São inúmeros os benefícios da curcumina, principalmente pelo seu efeito antioxidante e anti-inflamatório. Ela contribui para o combate ao câncer de próstata, mama, melanoma, pâncreas, diminui o risco de leucemia e mieloma múltiplo, e a ocorrência de metástases em diversos tumores. Desintoxica o fígado, é benéfico para o coração, ajuda no controle do diabetes, neutraliza radicais livres, reduz a inflamação da artrite, tem ação analgésica, antisséptica e antibacteriana. Age no metabolismo das gorduras auxiliando na perda de peso, ajuda na acne, na psoríase e outras doenças de pele, e acelera a cicatrização. Previne a doença de Alzheimer, combate a depressão e a esclerose múltipla. Todos estes efeitos são documentados por inúmeros estudos científicos.

Benefícios em estudos do açafrão-da-terra

Forte ação anti-inflamatória: A curcumina é considerada o principal agente farmacológico no açafrão. Em numerosos estudos os efeitos anti-inflamatórios da curcumina são comparáveis aos da hidrocortisona, diclofenaco e fenilbutazona (drogas anti-inflamatórias potentes). Ao contrário destes medicamentos, que estão associados a efeitos colaterais significativos, formação de úlcera, diminuição do número de células brancas do sangue, sangramento intestinal, a curcumina não produz nenhuma toxicidade.
Ação antioxidante: Estudos clínicos têm comprovado que a curcumina exerce um efeito antioxidante muito poderoso. Assim ela é capaz de neutralizar os radicais livres, substâncias químicas que causam danos às células.
Aliado contra a artrite: Devido à ação antioxidante da curcumina, o açafrão-da-terra ajuda a aliviar a artrite. Isto porque nesta doença os radicais livres são responsáveis pela degeneração e inflamação das articulações. A combinação do efeito antioxidante e anti-inflamatório do açafrão reduz os sintomas da artrite, como a rigidez matinal, o edema (inchaço) e a dor.
Bom contra o câncer: A ação antioxidante da curcumina presente no açafrão-da-terra protege as células de radicais livres que podem danificar o DNA celular, cuja alteração leva ao crescimento de células cancerígenas. Este polifenol também ajuda o corpo a destruir as células cancerosas desgarradas evitando metástases. A curcumina ainda age inibindo a síntese de proteínas que atuam na formação do tumor e evita a angiogênese, que é a formação de novos vasos sanguíneos para alimentar o crescimento de células cancerígenas.
Bom para o cérebro: Os resultados de um estudo recente, publicado em 2014 na revista Stem Cell Research & Therapy, mostram que o açafrão-da-terra pode ajudar a reparar o cérebro após uma lesão e também pode ser usado para tratar doenças neurodegenerativas. Para examinar os efeitos da cúrcuma em células cerebrais, os cientistas banharam as células-tronco do cérebro adulto em um extrato contendo turmerona, um polifenol encontrado no açafrão-da-terra. O crescimento de células-tronco foi superior a 80% quando comparado com o controle.
Pesquisadores da Michigan State University descobriram que a cúrcuma ou açafrão da terra é capaz de impedir a formação de compostos destrutivos (proteínas alfa-sinucleína) que estão presentes no cérebro em doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer.
A curcumina também reduz o risco da doença de Alzheimer, segundo pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Ela age reduzindo a formação de placas amiloides. A doença de Alzheimer resulta do acúmulo de uma proteína chamada beta-amilóide, que se deposita nas células do cérebro produzindo inflamação e estresse oxidativo, formando placas entre as células nervosas (neurônios) no cérebro e perturbando o seu funcionamento.
Bom para o coração: A curcumina é capaz de evitar a oxidação do colesterol no organismo. O colesterol oxidado é o que danifica os vasos sanguíneos e se acumula em placas endurecidas que podem levar a um ataque cardíaco ou derrame. Esta ação impedindo a oxidação do colesterol pode ajudar a reduzir a progressão da aterosclerose e de outras doenças cardíacas.
Age contra a depressão: Um estudo publicado na revista Phytotherapy Research confirmou através de ensaio clínico em 60 pacientes que a curcumina é segura e eficaz no tratamento de estados graves de depressão comparada com a fluoxetina. A eficácia da curcumina foi semelhante ao do medicamento antidepressivo, no entanto, a curcumina não apresenta nenhum dos efeitos colaterais associados com a droga e ainda fornece benefícios adicionais à saúde. Estes resultados estão de acordo com outra pesquisa, publicada na revista Psychopharmacology, mostrando que a curcumina aumenta os níveis de neurotransmissores como serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de bem-estar.
Bom contra a acne: Cúrcuma é eficaz no tratamento de acne devido a suas propriedades antissépticas e antibacterianas: ela combate espinhas, controla a oleosidade e proporciona um brilho saudável para a pele. Para obter este benefício a orientação é a aplicação tópica do açafrão-da-terra, converse com seu médico sobre a melhor maneira de utilizá-lo.
Ajuda na perda de peso: Um estudo publicado pelo Journal of Nutrition mostrou a ação da cúrcuma na inibição da lipogênese, produção de gordura pelo corpo. O tempero reduziu o percentual de gordura corporal no grupo que ingeriu o condimento. A dose usada no estudo foi de cinco gramas por dia, equivalente a uma colher de chá rasa.
Outros estudos sinalizam que a ação anti-inflamatória da curcumina é um dos mecanismos que ajudam na perda de peso. Uma pesquisa publicada no European Journal of Nutrition sugere que curcumina pode ser útil no tratamento e prevenção de doenças crônicas relacionadas com a obesidade porque a curcumina interage em vários caminhos metabólicos capazes de reverter a resistência à insulina (pré-diabetes), hiperglicemia (açúcar alto no sangue), hiperlipidemia (colesterol elevado) e outros sintomas inflamatórios associados a obesidade.

Quantidade recomendada

Caso compre a raiz inteira utilize uma ou duas rodelas por dia. Se for ingerir o pó de açafrão a orientação é uma colher de chá, cerca de 5 gramas, diariamente caso exista algum problema de saúde. Pessoas saudáveis podem usar o quanto considerarem mais conveniente, o importante é a regularidade, que o açafrão-da-terra faça parte da rotina alimentar.

Como consumir

Quando a pessoa adquire a raiz inteira a orientação é usar as rodelas no suco, ralado na salada ou na preparação de outros pratos. Use o tempero em pó à vontade em sopas, pães, bolos, biscoitos, omeletes, tapiocas, e também em aves, carnes e cozidos, legumes, arroz, feijão, ervilha, etc. A versão em pó também pode ser utilizada em sucos.
Por ser um pó, não é bom consumir o açafrão a seco, polvilhado na salada, por exemplo. Isto porque há maior risco de engasgue. Ele pode ser misturado em qualquer tipo de líquido, como no preparo dos alimentos ou na confecção de molhos para salada. Vale misturar com azeite, óleo de coco, maionese, leite, iogurte, manteiga, etc.

Combinações

É interessante combinar a cúrcuma com a pimenta do reino a fim de aumentar a biodisponibilidade (absorção). A pimenta do reino é rica em um flavonoide chamado piperina, que aumenta a absorção de outros nutrientes. O curry é feito com cúrcuma e pimenta, e também pode ser incorporado no dia a dia.

Cuidados ao consumir

É melhor comprar o açafrão-da-terra em lojas de produto naturais e ao fazê-lo, verifique a validade. Isto porque quanto mais fresco, mais rico em polifenois. A cúrcuma é indicada para todas as pessoas, com restrição apenas nos casos raros de alergias a este tempero.

Riscos do consumo em excesso

Não há efeitos colaterais no consumo da cúrcuma e ainda não foram descobertos problemas no consumo em excesso do tempero.

Fontes consultadas

Nutróloga e médica ortomolecular, Tamara Mazaracki.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.